| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL DE ITUPORANGA
Desde: 29/06/2013      Publicadas: 62      Atualização: 20/09/2018

Capa |  Caderno Feminino  |  Especial  |  Manchetes  |  Noticias  |  Tecnologia  |  Turismo


 Manchetes

  11/09/2018
  0 comentário(s)


Candidato do PT ao governo de SC mostra força onde Bolsonaro lidera

Décio Lima está na frente das pesquisas do estado, apesar das preferências do eleitorado local pelo candidato do PSL à Presidência

Candidato do PT ao governo de SC mostra força onde Bolsonaro lidera

Santa Catarina é um dos raros entre os 27 estados do Brasil em que o ex-presidente Lula não liderava as intenções de voto antes de ter sua candidatura impedida, de acordo com as recentes sondagens divulgadas por Ibope e Datafolha.

O mesmo eleitorado que prefere, em sua maioria, a extrema-direita depositando suas intenções de voto presidencial em Jair Bolsonaro (PSL), coloca o petista Décio Lima na dianteira para a eleição de governador em uma das surpresas da reta inicial de campanha.

Leia também:
Eleição fragmentada e interesses parciais
A enrascada de Trump é um alerta sobre Bolsonaro

"Bolsonaro é um case de sucesso em termos de comunicação e precisa ser respeitado por sua candidatura e autenticidade. Décio, por sua vez, é um deputado talentoso, tem diálogo com todos os setores e aparece muito acima de outros nomes do próprio PT, inclusive", comenta o ex-governador Espiridião Amin (PP), um dos políticos mais experientes do estado.

Os índices do deputado federal e ex-prefeito de Blumenau por dois mandatos alcançando votos válidos acima dos 30% são inéditos para uma candidatura de esquerda. O absoluto predomínio dos conservadores se expressa nas ininterruptas gestões no comando da capital Florianópolis e na esfera estadual, os oito anos de administração de Raimundo Colombo (PSD) ratificaram esse controle.

"Vamos dar fim a famigerada tríplice aliança iniciada com Luiz Henrique e seguida por Colombo. Santa Catarina já reconhece como ultrapassado esse momento que nos levou a paralisia, não vamos nem para frente nem para trás. Queremos um governo conectado com os anseios do povo, das mulheres, trabalhadores, negros, lbgts e não que atue em privilégio dos mais fortes", confia Lenilso Silva, primeiro vereador negro e ativista LGBT de Blumenau.

A escolha dos catarinenses sempre esteve submetida a políticos cujas biografias se alinhavam no passado à ditadura, a exemplo dos Bornhausen e mais recentemente ao golpe e a Michel Temer, entre eles o deputado federal Mauro Mariani (PMDB), coligado a oito legendas e o ex-presidente da Assembleia Legislativa Gelson Merísio (PSD), apoiado por quatorze siglas, do Democratas ao PCdoB. Ambos concorrem ao cargo de governador contra a chapa pura encabeça por Décio Lima e o vice Kiko.

As semelhanças ente os expoentes da direita local e o presidente mais reprovado da história do Brasil pode ser uma das razões para os sinais de mudança manifestados pela população. "A conjuntura nacional toca os catarinenses que também querem o fim de um ciclo marcado pela pilhagem e pelo privilégio a grupos econômicos que ganharam seis bilhões de reais em desonerações enquanto nossa receita total é de 26 bilhões. Temos meio milhão na fila do atendimento, 400 mil desempregados e um estado invisível na vida do povo. A eleição será entre os que querem um governador igual a Temer e aqueles que desejam a renovação por um projeto humano e que proteja o povo", acredita Décio.

Na linha de frente do programa petista, o Banco do Povo, para oferecer crédito a pequenos empresários e o "Prove Santa Catarina", investimento na agricultura familiar com garantia de espaço aos produtos no comércio e na merenda da rede estadual beneficiariam mais de um milhão de pessoas.

  Autor:   Guilherme Schinaider





Capa |  Caderno Feminino  |  Especial  |  Manchetes  |  Noticias  |  Tecnologia  |  Turismo
Busca em

  
62 Notícias